Home > Colaboradores > Carlos Borges Simão > Mundo descartável

Mundo descartável

Atento ao mundo que me cerca, vou percecionando os acontecimentos políticos e sociais sob um prisma que alguns considerariam como conservador. De facto, em conversas com amigos, costumo dizer:” o meu mundo já não é este”. As transformações têm sido tantas e tão rápidas que me dá sensação de viver num mundo que desconheço.

Se me debruçar sobre o mundo tecnológico, então a diferença com o meu mundo é abissal. Desde o computador ao “skipe”, aos “androides”, tudo é o admirável mundo novo da informação e dos contactos imediatos que só imagináramos nos filmes de ficção. Isto ainda é pouco pois a tecnologia, todos os dias, faz milagres.

Se me debruçar sobre os comportamentos, tudo me parece virado de pernas para o ar. A mentira, o faz de conta, a busca do prazer a todo o transe, tornam tudo descartável. O namorado ou a namorada são descartáveis logo que um mais jeitoso ou outra mais facilitadora nos pisquem o olho. O marido ou a esposa são descartáveis ao primeiro arrufo ou às primeiras dificuldades. Infelizmente até os filhos são descartáveis ao impedirem as minhas aventuras noturnas ou as minhas infidelidades como se continuasse a ser solteiro.

Vivemos das imagens televisivas, das revistas cor-de-rosa, dos jornais sensacionalistas, de tal modo afogados que não temos tempo de pensar.

Dificuldades, dor, sofrimento procuramos esquecê-los, num caso não as resolvendo, no outro com doses maciças de analgésicos, de comprimidos para dormir, de drogas que nos mergulham num mundo virtual que é, desgraçadamente, o mundo normal.

O meu pai ou a minha mãe já são idosos e dão muito trabalho impedem-me de gozar a vida? O abandono nos lares e até nos hospitais ou, pior que isto, largando-os sozinhos à sua sorte porque também eles são descartáveis.

Sabemos que a juventude é efémera, que o prazer é breve, que o mundo cor-de-rosa é uma utopia, mas como diz o povo “enquanto dura, vida doçura”.

Pensamos que o nosso comportamento individual não tem qualquer importância no mundo que nos rodeia. Puro engano! A sociedade é um todo onde qualquer deslize, qualquer falha irão atingir o todo. Pode não ser logo, mas os muitos buracos, os muitos rasgões, desfazem a sociedade mais sofisticada.

Muitas coisas boas e excelentes tem o nosso mundo de hoje. Deitou-se fora muito lixo que só nos intoxicava. Mas também deitamos, muitas vezes, fora “o bebé com a água do banho”.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook