Home > Colaboradores > Carlos Pinheiro > Os vendedores da “banha da cobra” andam por aí…aos montes

Os vendedores da “banha da cobra” andam por aí…aos montes

Antigamente, era usual aparecerem nos mercados semanais, 2ª feira em Torres Novas, 4ª feira em Alcanena, 5ª feira em Ourém, 6ª feira em Pernes, etc., os chamados vendedores da “banha da cobra” que prometiam milagres para todas as maleitas e muita gente ia nessa conversa. Para eles, o seu produto era muito melhor do que o Melhoral que não fazia bem nem fazia mal. Mas resultados, nada…

Agora, os novos vendedores são mais especializados, têm outras formas de divulgação dos seus “produtos”, também não desprezem os mercados e as feiras, mas os resultados são os mesmos…Portanto, todo o cuidado é pouco…

E estamos num período desses. Vai ser um Verão em cheio que aliás já começou há muito tempo porque eles têm tempo e dinheiro com fartura para a propaganda. Até aumentaram significativamente o Orçamento da Assembleia da República para que nada lhes falte. E estiveram todos de acordo. Essa é que é essa.

E depois de Outubro a propaganda vai continuar porque o inquilino de Belém vai mudar e candidatos a candidatos já são mais que muitos. E a procissão ainda nem saiu do adro.

Mas para honrar melhor o titulo deste artigo, prevaleço-me da oportunidade de poder transcrever, do Jornal da Madeira, de 02.08.15, algumas das 57 frases, de pessoas importantes, sobre o caso BES que foi objecto de RESOLUÇÂO, a primeira e única na Europa, no dia 3 de Agosto de 2014 e tudo continua, ao fim de um ano, em “banho-maria”, uma autêntica banha da cobra.

O Banco Espírito Santo tem vindo a ser supervisionado pelo Banco de Portugal e não nos merece, nesta altura, nenhuma apreensão.” Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro
05-07-2014

[O caso BES] É uma questão que terá implicações económicas, mas não compete ao Estado estar a resolver os problemas que os privados possam ter com os seus contratos, investidores, clientes. Essa não é a função do Estado.” Pedro Passos Coelho05-07-2014

A situação de solvabilidade do BES é sólida, tendo sido significativamente reforçada com o recente aumento de capital.” Comunicado do Banco de Portugal 10-07-2014

Os contribuintes portugueses não serão chamados a suportar perdas privadas.” Pedro Passos Coelho 11-07-2014
“O BES detém um montante de capital suficiente para acomodar eventuais impactos negativos.” Carlos Costa, governador do Banco de Portugal 11-07-2014

O BES está capitalizado, tem uma almofada de capital para fazer face aos riscos com que está confrontado, que tem a ver com a evolução da área não financeira da família. (…) Os depositantes no BES podem estar tranquilos.” Carlos Costa TVI, 15-07-2014

[O Banco de Portugal], como autoridade de supervisão, tem vindo a actuar muito bem a preservar a estabilidade e a solidez [do sistema bancário português].” Cavaco Silva, Presidente da República 21-07-2014

Se a justiça é igual para todos? Permita-me o desabafo. Às vezes tenho essa dúvida. (…) O sistema judicial permite que aqueles que têm mais poder económico consigam protelar no tempo as decisões.” Carlos Tavares 24-07-2014

Não existem motivos que comprometam a segurança dos fundos confiados ao BES, pelo que os seus depositantes podem estar tranquilos.” Comunicado do Banco de Portugal 25-07-2014

Factores de natureza excepcional ocorridos durante o corrente exercício determinaram a contabilização de prejuízos, de imparidades e de contingências que se reflectiram num prejuízo de 3.577,3 milhões de euros.” Comunicado do Banco Espírito Santo enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários 30-07-2014
“Na medida em que a descrição de alguns dos contributos para esses resultados [relativos ao primeiro semestre] parece indiciar a existência de eventuais violações de normas legais, tais indícios irão ser devidamente investigados e, se for o caso, comunicados às autoridades competentes para os fins legalmente previstos.” Vítor Bento 30-07-2014

O Banco de Portugal tomará todas as medidas que são necessárias [no âmbito da crise do Banco Espírito Santo], de modo a garantir a estabilidade financeira.” Pedro Passos Coelho 01-08-2014

O Grupo Espírito Santo, através das entidades não financeiras não sujeitas a supervisão do Banco de Portugal, desenvolveu um esquema de financiamento fraudulento entre as empresas do grupo.” Carlos Costa, durante a apresentação da solução para o Banco Espírito Santo 03-08-2014
“[A solução anunciada pelo Banco de Portugal para o Banco Espírito Santo] é aquela que oferece (…) maiores garantias de que os contribuintes portugueses não serão chamados a suportar as perdas que, neste caso, respeitam pelo menos a má gestão que foi exercida pelo BES.” Pedro Passos Coelho 04-08-2014
“Se o capital [do Novo Banco] resultou, essencialmente, de um empréstimo do Estado, para já, são os contribuintes que estão a suportar o investimento. A questão é a de saber se o recuperam ou não.” António Costa, candidato às primárias do PS Visão, 07-08-2014.

Penso que estão aqui pequenos relatos, interessantes, que deveriam dar para pensar. Que dizer mais? Nada. Se tudo isto não foi propaganda da banha da cobra, vou ali, já venho. Só que os custos ainda estão para aparecer.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook