Home > Colaboradores > António Mário Lopes dos Santos > O Ensino no Concelho de Torres Novas na 2ª Metade do século XIX – 18 1799 -1881

O Ensino no Concelho de Torres Novas na 2ª Metade do século XIX – 18 1799 -1881

A 1 de Junho de 1879,um governo progressista é nomeado pelo rei, substituindo o regenerador de Fontes Pereira de Melo. Dirige-o Anselmo Braamcamp Freire, sendo ministro do reino José Luciano de  Castro,com a apoio dos Avilistas (1/6/1879 a 25/3/1881) .Dissolvida a Câmara dos Deputados a 28/8, , o governo manda proceder a novas eleições  , que se realizam a 19 de Outubro, com  uma enorme vitória do partido do poder.

No sector do ensino, o governo progressista toma algumas medidas importantes. Manda proceder à confrontação entre o método de aprendizagem da leitura de João de Deus, com a sua Cartilha Maternal, e os métodos anteriormente seguidos  Em 1880, considera de festa nacional e de grande gala o dia 10 de Junho, em que se completa o 3º Centenário de Camões, o que vai dar grande publicidade e influência política ao partido republicano.

A 11 de Junho, Luciano de Castro reforma a nova organização da Instrução Primária, seguindo o projecto regenerador de Sampaio•, conserva-se  a ideia  global  de que  são as Câmaras  Municipais  que têm o encargo de dotar e manter  a instrução primária. A 14 do mesmo mês, é publicada a reforma da Instrução Secundária,  estabelecendo três tipos de institutos: os liceus nacionais centrais, os liceus nacionais e  as escolas  municipais secundárias. Os primeiros, em Lisboa , Porto e Coimbra; os segundos em cada capital do Distrito; os terceiros fora das sedes dos distritos  onde se entender criá-los, a pedido de qualquer corporação, associação ou indivíduo. O Estado entraria com um terço de despesa respeitante ao pessoal docente, ficando o excedente a custo do promotor

Concelho de Torres Novas  !879-1800)

A mudança governamental conduz, localmente, como sempre, à mudança do administrador do concelho, representante local do partido no poder. Sai o regenerador António Joaquim Gonçalves Rosa, substituído interinamente pelo vice-presidente Dr. Rafael Pinto Lopes, até ser nomeado o progressista Dr. Pedro Correia Monteiro Gorjão, que, como será hábito, mudará os regedores, indo preparar as futuras eleições para deputados.

Os oficiais da administração do concelho, Manuel Teixeira Alvarenga e Antonio Nunes do Nascimento, nomeados pelos regeneradores, pedem a demissão, sendo substituídos por José Martins Correia da Costa  e João Rodrigues dos Santos No fim desse mês Augusto César de Bivar Salgado, também se demite de funcionário da administração, sendo substituído por Joaquim de Magalhães.

No sector do ensino, o registo camarário do quotidiano: a 28 de Agosto, o professor de Assentis, João Pedro Vieira, devido ao número elevado de alunos, solicita um ajudante, que ficou deliberado ser inscrita verba no orçamento para o ano seguinte. O professor régio da Vila, António dos Reis, a 11 de Setembro, propõe que para a continuação do curso nocturno pelo método de João de Deus se matriculem os alunos do último ano; também se propõe, que o executivo aceita, à criação dum curso nocturno de desenho Linear ou Prático para artistas.

Em 1880, a 15 de Janeiro, o Governo civil inquire a Câmara sobre um pedido da Freguesia de Assentis, que solicitava a criação duma escola em Fungalvaz, que dista da que se encontra em Moreiras Grandes mais de três quilómetros. A Câmara dá parecer negativo, defendendo antes a criação da escola em Vale do Calvo, concelho de Tomar, a que Fungalvaz se poderia associar, por estar só a 2 kms. Na resposta, a Câmara faz o ponto da situação escolar concelhia em 1800, que transcrevemos. Nas notas, registamos os professores que trabalhavam, na altura, no concelho.

«Há nesta villa duas escholas d’insrtrucção primaria, uma para o sexo masculino, e outra para o feminino , das quaes s’aproveitão as 4 frerguesias, S,Pedro, S. Thiago, Stª Maria e Salvador; e na aula do sexo masculino há um curso nocturno pelo methodo de João de deus. No lugar de Riachos pertencente á freguesia de S. Thiago tambem há uma eschola para o sexo masculino, da qual se aproveita os d’aquelle logar e dos casaes próximos. Na freguesia de Sta Eufemia há duas escholas, para o sexo masculino, uma no logar da Matta, e outra no logar da Rexaldia. Na freguesia e logar de Alcanena há duas escholas,uma para o sexo masculino e outra para o femenino, As freguesias de Pedrogão , Ribeira , Parceiros , Lapas  e Brogueira  tem cada uma a sua eschola para o sexo masculino nos lugares sedes das freguesias. Na freguesia do Paço há uma eschola para o sexo masculino no logar de Carrascos. A freguesia da Olaia  tem duas escholas no logar d’Argea , e ainda outra para o sexo masculino no logar da Lamarosa . A freguesia de Monsanto tem neste logar duas escholas, uma para o sexo masculino. E outra para o femenino.  A freguesia d’Assentis  tem no logar das Moreiras Grandes  uma eschola para o sexo  masculino, e no lugar do Outeiro uma escola de sistema mixto ».

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook