Home > Região > João Luz da a conhecer a sua mais recente curta metragem

João Luz da a conhecer a sua mais recente curta metragem

Um ato repulsivo, o de cuspir em cima de alguém, ganha destaque no título da curta metragem, a que se acrescenta não serem apenas três personagens, mas sim três e meia, neste caso mulheres, a cuspirem em cima. Será o gesto de desprezo mais baixo na nossa cultura e serviu de arranque para a conversa com o autor, o riachense João Luz.

O gesto repulsivo, contou João Luz, já fora utilizado no cinema, com o filme “Joana D´Arc” de 1928. A utilização da ideia de “cuspir para cima de alguém”, com um ato de desprezo, já havia surgido ao cineasta de Riachos, nascendo o título antes do filme. O processo criativo de João Luz, como nos explicou, funciona assim muitas vezes, parte de uma ideia, de um título, para um filme. Um acontecimento que seja possível condensar num arranjo de palavras que depois possa ser desenvolvido. Neste caso, explicou, o título acontece literalmente no filme. O porquê do gesto fica para o visionamento do filme na sexta-feira, dia 21, no Café Concerto do Teatro Virgínia, pelas 23h, onde acontecerá uma tertúlia depois do visionamento.

Mas o que sucede no filme, frisou João Luz, é metafórico, estando o gesto relacionado com uma forma de poder e de submissão ao poder. As ideias que retirou para a curta metragem surgiram da observação da vida real, coisas que presenciou ou se apercebeu e que rondam o que se designa por “delito de opinião”, pessoas sujeitas a inquérito por terem emitido uma opinião. De uma forma ou de outra já todos passamos por situações idênticas, ficando sujeitos a um julgamento. «Há sempre uma altura em que nos vemos nessas circunstâncias», por isso, no filme, aborda-se a temática dos limites da liberdade de expressão. Se a opinião é emitida com verdade até que ponto existe legitimidade em a anular sobre o pretexto de um exercício de poder?

LML

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *