Home > Colaboradores > Joaquim Canais Rocha > Praia de Santa Cruz… até o Mar mudou

Praia de Santa Cruz… até o Mar mudou

O mundo está em constante mudança e por vezes não nos apercebemos dessa mudança que acaba por atingir todos os seres vivos que habitam a Terra. Essa mudança também está a acontecer no clima e nos mares. Há meia dúzia de anos, falando com um pescador que conhece bem o mar, nos dizia que ele está a conquistar a terra. Ou melhor dizendo está a ocupar mais espaço junto do areal e por essa razão as praias com grande extensão de areal, estão a desaparecer, aos poucos. A Praia de Santa Cruz, que é composta por um grupo de praias, também está a sofrer com essas alterações. A bonita praia da Formosa, única no País pela sua configuração, quase que desapareceu o seu areal, quando o mar avança. Por outro lado as marés vazias mostram a descoberto as inúmeras rochas que outrora estavam cobertas de areias. É certo, segundo alguns, que o mar leva e traz a areia, conforme as marés. Todavia este ano reparámos que o mar em período de maré vazia deixa a descoberto imensas rochas e areal, coisa que até à data nunca tínhamos observado nesta praia. Se aos fins-de-semana as praias ficam superlotadas, o mesmo não acontece nos dias de semana. Como não podia deixar de ser há muito menos famílias a passar férias. São os próprios comerciantes que o afirmam. A câmara de Torres Vedras tudo tem feito para animar a Praia de Santa Cruz, com a realização da Feira Rural e outras iniciativas. Muitas outras actividades ali vão tendo lugar, como foi uma semana de concertos até às três da manhã. No dia em que regressamos ia acontecer uma Feira do Livro. A nível de turistas pareceu-nos ter aumentado, porque os vimos em maior número na via pública. O Parque de Campismo, do Clube, mantém o mesmo nível de serviços, satisfazendo os campistas que por ali passam. E é ao mesmo tempo um porto de abrigo para muitas famílias passarem ali as suas férias. Os anos não perdoam e muitos companheiros que ali passavam as suas férias e com quem trocávamos impressões, deixaram um vazio no parque para os da mesma geração. Alguns morreram e outros por questões de saúde deixaram de aparecer. Foi uma geração de campistas que trouxeram para o movimento a chama da camaradagem, da alegria, da solidariedade e do viver com a Natureza. Muitas saudades deixámos em Santa Cruz: a Família, a Romana dos jornais, a ucraniana – tem um nome difícil de escrever pela gentileza com que nos servia o pequeno-almoço e muitas outras pessoas.

Deixe-nos o seu comentário pelo facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *